Ação Integrada

Publicado em 19/02/16 às 17:07 | Atualizado em 29/02/16 às 14:34

#EscolasemZika: Ação educativa combate o mosquito Aedes aegypti nas salas de aula em Olinda

Primeira atividade aconteceu nesta sexta-feira (19) na Escola Monsenhor Fabrício, no bairro de Peixinhos. Ações se estenderão por toda a rede municipal de Olinda

Por Tiago Peixoto

#EscolasemZika: Ação educativa combate o mosquito Aedes aegypti nas salas de aula em OlindaNa manhã desta sexta-feira (19), estudantes de 6 a 11 anos da Escola Municipal Monsenhor Fabrício receberam atividades educativas para o combate ao mosquito Aedes aegypti. A ação foi o pontapé inicial em Olinda da mobilização nacional Zika Zero nas Escolas, do Ministério da Educação. Estiveram presentes o secretário de Educação, Esportes e Juventude, Luciano Moura; a secretária de Saúde, Tereza Miranda; além de pais de alunos, agentes de combate às endemias e técnicos da prefeitura.

“Estamos fazendo um trabalho educativo com todas as crianças para a prevenção e o combate ao Aedes aegypti. O importante para nós é que, através das atividades, essas crianças passam a ser capacitadas, passam a ser multiplicadores, e todos nós sabemos que uma criança consciente faz os pais e a comunidade também conscientes”, destacou Tereza Miranda.

Os estudantes tiveram acesso a uma palestra sobre o mosquito, além de material educativo que mostra as diversas fases de desenvolvimento do Aedes. “A gente precisa não deixar água parada em nenhum canto da casa. Só assim para o mosquito não ter vez”, nos disse Daniel Nascimento da Silva, de 7 anos, aluno do segundo ano da escola.As crianças também visitaram a Unidade Móvel de Monitoramento da Guarda Municipal de Olinda, um micro-ônibus que contém uma câmera filmadora em alta definição que se movimenta em 360 graus, o que permite detectar do alto de uma torre de 19 metros os focos de proliferação do mosquito. O equipamento foi recebido através de um convênio com o Ministério da Justiça.

Após a palestra, 60 agentes de combate às endemias acompanharam os estudantes e rastrearam possíveis focos do mosquito na escola. Eles também distribuíram adesivos e panfletos com orientações de como se prevenir e também denunciar os focos do mosquito. “O trabalho tem que começar realmente das escolas. Com a conscientização das nossas crianças, são elas que vão reproduzir o conhecimento para os pais e a comunidade, e assim efetivamente a gente vai destruir o mosquito”, disse Tiago Silva, gestor da Escola Monsenhor Fabrício.

Escola Sem Zika – A mobilização nacional de combate ao mosquito Aedes aegypti acontece em todo o país. Em Pernambuco, são 161 municípios envolvidos. Além da ação inicial na Escola Monsenhor Fabrício, também ocorreram atividades na Escola Municipal Sagrado Coração de Jesus, no bairro do Amaro Branco. No local, foi lançado o Projeto Protagonismo Juvenil: Agente Comunitário Mirim, com o tema “Combater o Aedes aegypti é Sagrado”. O projeto terá a duração de dois meses e envolverá cerca de 200 estudantes. As atividades incluem visitação à oficina Dengue, da Fiocruz, no Espaço Ciência; produção de trabalhos em sala de aula; panfletagem e visitas às residências com os agentes de combate às endemias, numa parceria com a Secretaria de Saúde de Olinda.

“Essas atividades têm um componente estratégico para toda a nossa rede escolar. Ela tenta sensibilizar as crianças de nossas escolas, no sentindo que elas possam pedagogicamente conhecer a metodologia para combater o Aedes aegypti. É nesse sentido que nós damos o ‘start’ para sensibilizar toda a nossa rede de ensino a realizar o combate ao mosquito”, afirma o secretário de Educação, Esportes e Juventude, Luciano Moura.

Tags desta notícia: , , , ,