Destaque

Publicado em 19/09/17 às 18:01 | Atualizado em 19/09/17 às 18:03

Olindense é finalista do Cow Parade Recife

De 457 trabalhos inscritos, apenas 42 seguem na disputa. Um deles é de Jorge Faria, que tem seu ateliê na Ladeira da Misericórdia

Por alexandrecavalcanti

 

Por Pedro Paulo Catonho

Na Suíça, as vacas são animais que simbolizam os sonhos, mitos e conto de fadas. Desta tradição surgiu, em 1999, o Cow Parade, onde artistas selecionados usam como suporte uma escultura de vaca feita em fibra de vidro e em tamanho natural. Ao longo desses anos o concurso cresceu e, agora, o maior evento de arte a céu aberto do mundo chegou ao Nordeste. A versão nordestina contou com 457 inscritos, porém, somente 42 foram selecionados. Um deles é o do olindense Jorge Farias, que tem seu ateliê na Ladeira da Misericórdia, número 155.

Os projetos foram avaliados e selecionados na semana passada (12 de setembro) no Recife. Os pontos analisados do concurso foram: elementos como frevo e o Carnaval, a cultura da cana-de-açúcar e suas implicações históricas, a paisagem urbana, além das relações contemporâneas. As obras serão expostas nas ruas do Recife a partir de 26 de outubro.

“Abri o e-mail hoje (terça) de manhã e, para a minha surpresa, tinha a mensagem ‘você foi selecionado’. Vi a lista completa, muito bom. Foi uma disputa muito complicada, quase 500 para separar 42, ou seja, menos de 10%. É gratificante, todos os artistas têm interesse em participar de um evento como esse, internacional. O Cow Parade é sucesso em Nova Iorque, Suíça, Bélgica, França. Agora, nesta edição aqui no Nordeste, no Brasil, no quintal de casa, é uma honra”, comemorou Farias.

O Cow Parade já percorreu 84 cidades do mundo. Estima-se que mais de 500 milhões de pessoas já se depararam com pelo menos uma das obras em eventos espalhados em 36 países. Segundo a organização do evento, mais de 10 mil artistas já participaram, entre pintores, escultores, artesãos, arquitetos, designers e outras pessoas criativas e artísticas. Além disso, o evento já doou mais de 35 milhões de dólares para instituições beneficentes.

“O próximo passo é confeccionar o que foi apresentado. Eu mostrei um projeto de como eu pintaria a vaca. Os artistas vão pintar, esculpir, enfim, modificar a vaca com intervenções ao seu modo, respeitando o que foi apresentado previamente. Após pronta, dia 26 de outubro há uma exposição de apresentação das obras e, no mesmo dia, elas serão espalhadas pela Região Metropolitana. Isso mostra a diversidade cultural, criatividade, quantidade de ideias que surgem. É muito válido, bastante interessante. Estou ansioso para o resultado final”, disse o artista.

Outra face de Jorge

Além de artista, Jorge é especialista em outra arte: a marcial. Neste mês de setembro, ele foi eternizado no livro Grandes Mestres das Artes Marciais do Brasil, além de receber medalhas e certificados. A cerimônia foi realizada no dia 1º de setembro, em São Paulo. Ele é sexto dan de taekwondo.

“Com a história registrada, espero, daqui a pra frente, seguir firme no trabalho e buscar cada vez mais o crescimento. Quem sabe, no futuro, possamos conquistar novas homenagens. Vamos seguir o trabalho de formação de novos faixas preta, professores, cidadãos e formação na disciplina marcial. É muito bom o título, mas o mais gratificante é prosseguir no trabalho, com apoio dos amigos e da Prefeitura de Olinda. Juntos somos mais fortes. Queremos ir mais longe a partir de agora”, acrescentou.