Cidadania

Publicado em 07/10/17 às 10:25 | Atualizado em 07/10/17 às 11:08

Conferência discute promoção da igualdade racial e enfrentamento ao racismo em Olinda

O evento contou com representantes dos governos municipal, estadual e a sociedade civil

Por pedropaulo

Fotos: Lucas Silva e Pedro Paulo Catonho

Olinda na década dos afrodescendentes: reconhecimento, justiça, desenvolvimento e igualdade de direitos. Este foi o tema da IV Conferência de Igualdade Racial de Olinda (Coiro), realizada na sexta e sábado (6 e 7 de outubro), na Faculdade Aeso Barros Melo, em Jardim Brasil. Sem o Coiro desde 2013, a atual gestão, através da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social, Cidadania e Direitos Humanos de Olinda, foi responsável pela retomada do evento.

No primeiro dia de conferência, o Centro Cultural Luiz Lima fez uma apresentação de capoeira para dar início ao encontro. Na sequência, a mesa de abertura contou com representantes do município, estado e sociedade civil, seguido pela leitura de aprovação do regimento. A programação contou ainda com homenagens a Glorinha do Coco, Mestre Jorge Andrade, Joana D’Arc Pessoa (homenagem póstuma) e a movimentos negros de Olinda.

“O Coiro tem o objetivo de contribuir para a construção de políticas públicas para os negros e libras. Falamos sobre os povos tradicionais, LGBT, movimento negro, todos os tipos de movimentos. Convidamos ciganos, população ribeirinha e quilombolas para discutir essa construção de políticas. As diretrizes trabalhadas aqui foram as mesmas da conferência de igualdade racial nacional, levando-as para discussão no estado e no município”, explicou o coordenador de igualdade racial da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social, Cidadania e Direitos Humanos de Olinda, Clayton Gouveia.

Uma das palavras mais ditas durante o Coiro foi a “união”, seja ela entre os governos ou, principalmente, entre os povos. “Gostaria de parabenizar a Prefeitura de Olinda por essa ação. Precisamos disso, da união do Estado com as prefeituras. Mas não é suficiente apenas a união entre esses dois, precisamos do apoio da sociedade, que deve construir seus direitos e cobrá-los para que sejam executados”, disse o coordenador de Igualdade Racial da Secretaria de Desenvolvimento Social, Criança e Juventude de Pernambuco, Vicente Morais, que teve o discurso reforçado pelo secretário de Desenvolvimento Social, Cidadania e Direitos Humanos de Olinda, Wolney Queiroz. “É importante que ações como essa ocorram em escolas, por exemplo, para que a união se espalhe desde cedo em toda sociedade”.

Já para o membro do Movimento Negro Unificado (MNU), Jorge Andrade Silva, a conferência trouxe avanço nas propostas. “O evento foi feito de uma forma transparente. Existiu uma comissão – que trabalhou muito – sendo composta pelo governo e pela sociedade civil, para implementar essa conferência, e estamos mostrando o resultado. Esse é o sucesso do Coiro: a parceria entre a sociedade civil e o governo”, lembrou.

O evento contou com as presenças do prefeito Professor Lupércio; vice Márcio Botelho; secretário de Desenvolvimento Social, Cidadania e Direitos Humanos Wolney Queiroz; secretária executiva da Mulher e Direitos Humanos, Verônica Brayner; secretária executiva de Assistência Social, Mônica Ribeiro; coordenador de Igualdade Racial da Secretaria de Desenvolvimento Social, Criança e Juventude de Pernambuco, Vicente Morais e outros representantes do município, estado e sociedade civil.