Controle Urbano

Publicado em 03/04/17 às 11:29 | Atualizado em 03/04/17 às 11:29

Prefeitura de Olinda intensifica a fiscalização contra a poluição sonora

Estabelecimento clandestino já foi interditado em Casa Caiada. Trabalho conjunto conta com ações educativas e parceria com a população. O descumprimento pode resultar em multas e apreensões.

Por Marcilio Albuquerque

A poluição sonora é um problema que agride o meio ambiente e afeta a qualidade de vida da população. Pensando nisso, a Prefeitura de Olinda está reforçando as ações para combater o uso irregular de equipamentos de som, assim como o funcionamento de estabelecimentos que desrespeitam a legislação. As equipes de fiscalização da Secretaria de Controle Urbano estão nas ruas, verificando os níveis de ruídos e orientando os proprietários. O trabalho conta com o apoio dos moradores, que podem denunciar as infrações por telefone e também pela internet.

Conforme levantamento, os pontos com o maior número de reclamações incluem áreas com concentração de bares, casas de show e barracas, no entorno de estabelecimentos de ensino e também na orla da cidade. Os técnicos verificam a situação utilizando decibelímetros, equipamento capaz de analisar a intensidade emitida no ambiente. Nesta primeira etapa, a medida tem um caráter educativo. Contudo, fica o alerta para quem não cumprir a determinação, estando sujeito ao recolhimento do equipamento de som e o pagamento de multas.

De acordo com o secretário de Meio Ambiente Urbano e Natural, André Botelho, a população atua como uma grande parceira. “Os cidadãos podem informar com detalhes o que está ocorrendo no seu bairro, na sua rua, atuando como mais um olho do poder público contra a perturbação do sossego”, destacou. Segundo ele, apesar de considerado como um problema menor, a poluição sonora é algo grave e que repercute em segmentos como a saúde e a segurança pública.

Ações exitosas:
No último dia 24, técnicos interditaram uma casa de festas clandestina, localizada na Avenida Getúlio Vargas, próximo à Praça Pedro Jorge, em Casa Caiada. Os moradores e comerciantes do bairro denunciaram o estabelecimento por conta do barulho durante as madrugadas e pichações de quem frequentava o ambiente nas ruas do entorno. Satisfeitos com o resultado, os habitantes da área produziram uma carta de agradecimento à prefeitura, sendo recebidos pessoalmente pelos gestores. “Conseguiram por fim a uma triste rotina, com madrugadas inteiras sem dormir, causando adoecimento”, contou Ademir Patrício, que reside no local há 20 anos.

Veja como denunciar:

– Poluição sonora em bares, restaurantes, boates, obras:
Secretaria de Meio Ambiente
3439.5535

– Poluição sonora em veículos com som alto:
Secretaria de Transportes e Trânsito
3305.1021

– Poluição sonora em residências ou no espaço público:
Polícia Militar 190

– Internet
www.olinda.pe.gov.br

print