Destaque

Publicado em 18/08/17 às 12:33 | Atualizado em 18/08/17 às 12:33

Ação em Bairro Novo promove sensibilização e celebra 11 anos da criação da Lei Maria da Penha

Público feminino foi estimulado a denunciar os casos de agressões

Por alicemafra

Há 11 anos a Lei Maria da Penha marca a luta da prevenção e do combate à violência contra a mulher. E para celebrar isso, mulheres da Secretaria de Desenvolvimento Social, Cidadania e Direitos Humanos promoveram uma ação com pedestres e motoristas acerca do assunto. O ponto de mobilização foi na Secretaria de Desenvolvimento Social, Cidadania e Direitos Humanos, que fica na Avenida Getúlio Vargas, 536, Bairro Novo.

Para quem passava no local, foram distribuídos panfletos e a cartilha da Lei. Além disso, foi reforçada a existência do Centro de Referência e Atendimento à Mulher Márcia Dangremon, local que acolhe e orienta mulheres vítimas de violência localizado na Rua Maria Ramos, 131, Bairro Novo.

Com a chamada “Você não está sozinha”, mulheres foram acolhidas com palavras de conforto, abraços, além de receber orientações jurídicas e onde conseguir apoio psicológico. “Estamos aqui para acolhê-las e para que elas percebam que estão protegidas”, disse a secretária executiva da Mulher e Direitos Humanos, Verônica Brayner.

Para quem recebeu as informações, a experiência foi única. A cantora olindense, Marina Leão ressaltou a importância. “Muitas irmãs não têm conhecimento dos seus direitos, precisamos sempre ser instrumento de divulgação”, contou.

Conheça a Lei:

A Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006, leva o nome da farmacêutica cearense Maria da Penha, que se tornou uma das principais ativistas da causa. Ela foi vítima de violência doméstica durante 23 anos. A lei Maria da Penha é reconhecida pela Organização das Nações Unidas como uma das três melhores legislações do mundo no enfrentamento à violência contra as mulheres. Dados de 2015 confirma que houve diminuição de cerca de 10% na taxa de homicídios dentro das residências.