Destaque

Publicado em 26/09/17 às 12:18 | Atualizado em 26/09/17 às 12:20

Moradores de rua em Olinda são cadastrados no CadÚnico e saem do anonimato

A equipe multidisciplinar do Consultório de Rua percorre os pontos onde há registro de moradores de rua para oferecer os serviços sociais dos governos Municipal, Estadual e Federal

Por mariliabanholzer

Moradores de rua de Olinda são cadastrados no CadÚnico durante busca ativa. Fotos: Sandro Barros/divulgação PMO

A presença de moradores de rua é uma realidade das grandes cidades brasileiras. Com objetivo de oferecer melhores condições de saúde, serviços de assistência social, autonomia e apoio psicológico, a gestão municipal de Olinda tem realizado ações de busca ativa para cadastrar, orientar e apoiar pessoas em situação de rua. Nesta terça-feira (26), através de uma parceria entre as secretarias de Saúde e de Desenvolvimento Social, foi realizado o Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico) daqueles que vivem nas ruas e avenidas da cidade.

Na prática, a equipe multidisciplinar do Consultório de Rua percorre os pontos onde há registro de moradores de rua para oferecer os serviços sociais dos governos Municipal, Estadual e Federal. “Preciso registrar essas pessoas para que elas saiam da margem da sociedade. A partir do CadÚnico elas têm acesso ao Bolsa Família, descontos em contas de energia e água, para o caso de um dia elas encontrarem uma moradia, entre outros benefícios que tornam elas cidadãos atendidos pelo poder público”, explicou a entrevistadora do CadÚnico, Helbany Matni, representante da Secretaria de Desenvolvimento Social, Cidadania e Direitos Humanos de Olinda.

Os moradores precisam saber, ao menos, nome completos, data de nascimento e a identificação dos pais. Fotos: Sandro Barros/divulgação PMO

Atualmente, a equipe do Consultório de Rua conta com pelo menos 200 cadastros de pessoas de rua em Olinda, mas somente 80 são atendidas regularmente. “Temos muitos cadastros porque, às vezes, são pessoas que passam pela cidade, mas não se fixam. Essas 80 que acompanhamos são atendidas, passam por exames médicos, são convidadas a tentar voltar ao convívio familiar. É um trabalho feito diariamente”, contou o coordenador do serviço vinculado à Secretaria de Saúde, Mário Costa.

Além da saúde física e da busca pelo bem-estar dos moradores de rua, a equipe do Consultório de Rua também conta com veterinário. O profissional é responsável por verificar a saúde e vacinar os animais que acompanham essa população. O objetivo é que essas pessoas não sejam contaminadas por zoonoses (doenças transmitidas pelos animais).

Os animais de estimação dos moradores de rua são vistoriados. Fotos: Sandro Barros/divulgação PMO

Tags desta notícia: , , ,