Destaque

Publicado em 19/10/17 às 12:26 | Atualizado em 19/10/17 às 12:26

Professor Lupércio resolve problema de 12 anos de inadimplência de antigas gestões e resgata convênios com o Ministério da Educação

Aproximadamente R$ 6 milhões serão destinados para merenda, transporte escolar e aprimoramento nas capacitações, desde o ensino fundamental ao EJA

Por Natália Catarina

Por Pedro Paulo Catonho

Foto: Sandro Barros/Prefeitura de Olinda

Depois de 12 anos inadimplência junto ao Ministério da Educação, por falhas na prestação de contas de antigas gestões, Olinda desbloqueou 17 convênios de recursos federais, legalizou a situação no Cadastro Únicos de Convênios (CAUC) e agora pode celebrar apoios dos governos Federal e Estadual. Com essa conquista, o atual prefeito Professor Lupércio receberá aproximadamente R$ 6 milhões para investimentos do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), Projovem Urbano, Educação para Jovens e Adultos (EJA) e Programa Nacional de Transporte Escolar (PNATE).

Os benefícios principais a partir de agora serão o pagamento da merenda escolar, que vinha de investimento de recursos próprios; melhoria na manutenção do transporte escolar (este exclusivo para a instituição rural) e Projovem, que possibilitará cursos diferenciados de formação e profissionalizantes.

“Quero parabenizar a Secretaria de Educação por essa conquista e por não ter desistido após várias idas e vindas a Brasília. Há 12 anos que o município estava negativado no Ministério da Educação. A partir deste ano, vamos reestabelecer toda a parceria. É importante colocar que todo dinheiro investido era retirado do município, agora será com a verba repassada pelo Ministério da Educação”, comemorou o prefeito Professor Lupércio, após encontros com o titular da pasta, Mendonça Filho.

Além dos investimentos, a Prefeitura de Olinda pode realizar qualquer convênio com os governos federal e estadual. “Se eu fosse somar as emendas parlamentares, daria muito mais que 6 milhões. Eram 17 convênios inadimplentes com o município. Fizemos 17 representações e encaminhamos ao Ministério Público Federal para que acontecesse o destravamento”, acrescentou o secretário municipal de Educação, Paulo Roberto Souza.