Destaque

Publicado em 30/10/17 às 13:53 | Atualizado em 30/10/17 às 13:59

Projeto cria obras com histórias de olindenses

Trabalho foi documentado em forma de livro, audiovisual e programa de rádio

Por alicemafra

O acervo sobre Olinda ganha um reforço com informações históricas levantadas a partir de informações repassadas pelos próprios olindenses. O projeto “Olinda Patrimônio Cotidiano – Memória Coletiva dos seus Moradores” resultou num documentário audiovisual, um programa de rádio e um livro. A produção foi lançada neste sábado (28.10), na Biblioteca Pública da cidade. Na ocasião, artista e moradores locais, além de visitantes, tiveram a oportunidade de conhecer detalhes sobre o material e assistir apresentações de passistas de frevo.

A Marim dos Caetés é conhecida mundialmente por suas construções que chamam a atenção pelo seu tamanho e história. Porém, o patrimônio vivo, as pessoas que residem  aqui desde que nasceram, agora têm suas histórias imortalizadas. “Ficamos muito felizes porque as pessoas de outros locais podem nos conhecer, porque juntos fazemos a Olinda viva”, disse o secretário de Patrimônio e Cultura, Gilberto Sobral.

O acervo, que foi distribuído gratuitamente, teve seu levantamento de informações realizado pelo Instituto de Cooperação Econômica Internacional (ICEI Brasil), com incentivo do FUNCULTURA. A coleta de dados, baseada numa pesquisa oral com 180 moradores da cidade, ocorreu entre 2015 e 2016. O coordenador geral do Icei Brasil, Diego Di Niglio, contou um pouco como foi o levantamento. “As pessoas abriram suas portas e seus corações para gente, elas nos contaram histórias das suas vidas e famílias”, conta.

O ICEI Brasil atua, em Olinda desde 2011, resgatando a memória sobre a relação dos moradores com a sua terra natal, além de transmitir e resgatar saberes e conhecimentos para as gerações futuras. Pessoas de vários bairros foram ouvidas como, por exemplo, Varadouro, Amaro Branco, Alto da Mina, Guadalupe, Bonsucesso, Monte, Amparo, Carmo e Bultrins.