Destaque

Publicado em 29/09/17 às 17:05 | Atualizado em 02/10/17 às 13:15

Sem qualquer tipo de identificação legal, moradores de rua vivem no anonimato

Prefeitura de Olinda começa a cadastrar esses homens e mulheres para oferecer benefícios e documentos oficiais

Por Natália Catarina

Foto: Sandro Barros/Prefeitura de Olinda

Em uma semana de busca ativa, com intuito de oferecer serviços de saúde, assistência social, autonomia e apoio psicológico, como também orientar e apoiar as pessoas em situação de rua, a Prefeitura de Olinda identificou uma grande parcela que vive no anonimato.

De 200 pessoas abordadas pelos técnicos, apenas sete foram cadastradas para receber  benefícios sociais. Por falta de documentação para identificação como cidadão, tais como Identidade, Registro Geral (RG) e certidão de nascimento, a grande maioria ainda não pode ingressar no Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico).

Por conta disso, a prefeitura manterá entendimentos com o Governo do Estado para realizar um mutirão de emissão de documentos para esta parcela “invisível” da população. O trabalho é coordenado pelas Secretarias de Desenvolvimento Social, Cidadania e Direitos Humanos e de Saúde da cidade.