Educação

Publicado em 21/09/16 às 14:38 | Atualizado em 01/11/16 às 17:54

Chico César lança seu primeiro livro infantil em Olinda

O evento aconteceu no auditório da Secretaria de Educação, Esportes e Juventude de Olinda, com a presença de estudantes das escolas municipais

Por Clara Albuquerque

250 exemplares do livro infantil de Chico César foram doados às escolas municipais, para atividades em sala de aula. Foto: Weverton Mello/Pref.Olinda

250 exemplares do livro infantil de Chico César foram doados às escolas municipais, para atividades em sala de aula. Foto: Weverton Mello/Pref.Olinda

Na manhã do dia 21 de setembro, Olinda recebeu o músico, poeta e escritor Chico César, cuja carreira possui ampla repercussão internacional, conhecido pelo encanto linguístico em suas letras de músicas. Chico veio fazer o lançamento de seu novo livro em Pernambuco, O agente laranja e a maçã do amor, editado em abril deste ano e voltado para o público de 6 a 12 anos de idade. O evento aconteceu no auditório Nelson Correia, que fica na sede da Secretaria de Educação, Esportes e Juventude do município, na Rua 15 de Novembro, no bairro do Varadouro, Olinda, e contou a presença dos estudantes das escolas municipais.

Chico César firmou parceria com a Prefeitura de Olinda, por intermédio da Secretaria de Educação, Esportes e Juventude e trouxe 250 exemplares que foram doados às escolas municipais para atividades em sala de aula. “Essa parceria veio para enriquecer o aprendizado dos nossos estudantes que tiveram a oportunidade de conhecer mais uma obra de um dos nossos autores brasileiros. No município, nós desenvolvemos várias iniciativas relacionadas à leitura, a exemplo do CLEMO (Concurso de Leitura das Escolas Municipais de Olinda), então essa experiência só veio para somar nesse processo de estímulo à leitura e aumentar o prazer de ler dos nossos estudantes”, diz a diretora de Ensino da Secretaria de Educação, Esportes e Juventude de Olinda, Edileuza Gomes.

Na ocasião, houve uma palestra com diálogos sobre o livro e assuntos relacionados e uma intervenção poético musical com o autor e músico, seguida de uma seção de autógrafos. O evento contou com a presença do secretário de Educação, Esportes e Juventude, Luciano Moura, da presidente da Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (Fundarpe), Márcia Souto, entre outros gestores públicos e servidores da educação.

Chico César nos contou um pouco da sua primeira experiência em escrever para crianças. “Ao receber a proposta de Raimundo Gadelha, editor da Escrituras, para escrever um livro destinado ao público infanto-juvenil eu fiquei bastante surpreso. E a princípio relutei em aceitar o desafio. Mas quando ele falou que a coleção se chamaria “Autores Improváveis” a ideia se tornou mais aceitável. Pois nem me considero um escritor mesmo, sou um compositor que escreve canções e também escrevo algumas coisas que não cabem no formato canção. Sou, portanto, um “autor improvável” e mais ainda um improvável autor de histórias para crianças. Então vi que ali me cabia, que ali eu me encaixava”  disse ele.

O LIVRO – É o terceiro da carreira do artista, uma edição da editora Escrituras com 48 páginas e ilustrações de Fernanda Lerner. Pertence à série Autores Improváveis, marcando a estreia de Chico César como autor de livro infantil com impressão de 3 mil exemplares. Foi lançado em São Paulo, na Livraria da Vila e em João Pessoa, na Livraria Nobel. Atualmente, com cerca de 1600 exemplares vendidos, conta a história de um fiscal de frutas que vai a uma feira popular durante a Festa das Neves, na Paraíba, e lá encontra uma maçã do amor diferente que lhe proporcionará surpresas. O escritor e pesquisador de literatura fantástica Bráulio Tavares descreve, no prefácio, que O agente laranja e a maça do amor “é o mundo dos adultos visto por olhos de criança”.

CHICO CÉSAR – Francisco César Gonçalves nasceu em 26 de janeiro de 1964, no município de Catolé do Rocha, interior da Paraíba, aos dezesseis anos Chico César foi para a capital João Pessoa, onde se formou em jornalismo pela Universidade Federal da Paraíba, ao mesmo tempo em que participava do grupo Jaguaribe Carne, que fazia poesia de vanguarda. Pouco depois, aos 21 anos, mudou-se para São Paulo.

Trabalhando como jornalista e revisor de textos, aperfeiçoou-se em violão, multiplicou suas composições e começou a formar o seu público. Sua carreira artística tem repercussão internacional. A maioria de suas canções são poesias de alto poder de encanto linguístico. (Fonte: Site Oficial de Chico César)

print

Tags desta notícia: , , , ,