Destaque

Publicado em 12/07/17 às 18:38 | Atualizado em 13/07/17 às 11:55

Manipulação de alimentos é tema de capacitação em Olinda

Aproximadamente 90 auxiliares de alimentação de 15 creches da rede municipal participaram das aulas

Por pedropaulo

Por Pattricia Viviane

As boas práticas na manipulação de alimentos são procedimentos que devem ser adotados a fim de garantir a qualidade higiênico-sanitária e a conformidade das comidas com a legislação sanitária. De olho nisso, 90 auxiliares de alimentação de todas as 15 creches da rede municipal de ensino de Olinda participaram, nos dias 11 e 12 de julho, da capacitação sobre as Boas Práticas na Manipulação dos Alimentos, no Auditório Nelson Correia, com certificação dada pela Secretaria Municipal de Educação, Esportes e Juventude de Olinda.

No primeiro dia de treinamento, as monitoras abordaram as questões como higiene pessoal e manipulação. A primeira dinâmica do dia, as auxiliares aprenderam o processo correto de higienização das mãos e a importância ao uso contínuo das luvas, toucas e máscaras. Para o segundo dia, a capacitação reforçou ainda mais a questão da limpeza geral da cozinha e refeitório, a higienização do hotbox (cuba térmica) e como receber corretamente os alimentos para fazer a distribuição da mesma para as crianças.

Segundo a nutricionista Jaqueline Risolene, chefe do Departamento de Planejamento de Alimentação Escolar da Secretaria de Educação, toda a dinâmica é direcionada para que além do dia-a-dia das tarefas escolares, as auxiliares pratiquem em casa o hábito e aprendizado. “Esta capacitação é muito importante para a rede municipal de ensino e aos profissionais envolvidos com alimentação das crianças em creches. Isso é primordial neste governo: oferecer alimentos adequados e promover ações para que os alunos incorporem práticas alimentares saudáveis”, explica Jaqueline.

A equipe da empresa prestadora da alimentação também se fez presente durante a capacitação. De acordo com a nutricionista Adriana Luna, da empresa General Goods, muita coisa mudou desde a nova gestão, pois a Secretaria de Educação vem atuando em um trabalho conjunto de fiscalização e cobrança para que o processo almejado atenda as 705 crianças lotadas nas creches municipais de ensino. “Que essas auxiliares estejam cada vez mais aptas e especializadas na forma correta da distribuição da nossa alimentação, que chega pronta nas creches e escolas. É um alerta para se perceber de que modo elas estão exercendo esta função com segurança”, destaca a nutricionista.

Para o Secretário de Educação, Esporte e Juventude, Paulo Roberto Souza, “a promoção da saúde no ambiente escolar deve ser realizada por todos os atores sociais envolvidos no processo: pessoal da saúde, pais, funcionários, direção e, sobretudo o educador, que, no ambiente escolar, é quem auxilia as crianças no momento das refeições”.