Obras

Publicado em 12/08/15 às 12:32 | Atualizado em 23/02/16 às 12:31

Obras de contenção do avanço do mar mudaram a cara da Orla de Olinda

Obras de enrocamento e revitalização dos espigões possibilitaram a construção com segurança do calçadão, pista de cooper, ciclovia e a pavimentação da avenida, evitando que a água do oceano destruísse as construções

Por Secretaria de Comunicação de Olinda

Fotos: Construtora Collier e Diego Galba/Pref.Olinda

Fotos: Construtora Collier e Diego Galba/Pref.Olinda

Ao passear pela Nova Orla, muita gente não sabe que para realizar a urbanização do espaço, foi preciso uma dedicação exclusiva à resolução do problema do avanço do mar, pois em vários pontos a água do oceano já havia avançado bastante. Encerradas em 2012, as obras de contenção do avanço do mar possibilitaram a construção com segurança do calçadão, pista de cooper e ciclovia no local. Para garantir que o trabalho não se perca, a Prefeitura de Olinda realiza ações de manutenção das obras de contenção, desde a conclusão dos trabalhos.

Para isso, nos bairros do Carmo, Bairro Novo, Casa Caiada e Rio Doce, foi feito o enrocamento: um conjunto de blocos de pedra, lançados uns sobre os outros, para servir como como quebra-mar ou proteção contra a erosão das ondas. Junto com uma camada de areia e de um material filtrante, o procedimento funciona como várias camadas que freiam a velocidade da água do oceano, e diminuindo assim o desgaste causado por ela na área costeira urbanizada. Também foi feita a revitalização dos espigões, que são pontas de rochas que avançam perpendicularmente no curso da água do mar, retendo sedimento e ajudando na prevenção da erosão costeira. A partir disso, as obras da Nova Orla de Olinda puderam ser realizadas com toda segurança.

“Essa obra da orla merece uma reflexão mais ampla, porque é uma obra que foi de muita luta, de muito esforço e parcerias com o Governo do Estado e Governo Federal. Quando pedimos o primeiro recurso dessa obra, lembro que havia sido apenas para Bairro Novo, e nem era para urbanização geral e sim da contenção, pois é uma parte, que apesar de não aparecer muito, tem de ser valorizada. Se não tivéssemos feito a contenção marinha, hoje provavelmente não teríamos mais a Avenida Marcos Freire. A partir daí, visualizamos que poderíamos entregar uma orla melhor para a população olindense. Então, ampliamos o projeto de Bairro Novo até a Ponte do Janga, com uma ciclovia ligando os bairros, pista de cooper, quiosques e a urbanização de fato a partir da altura do Hotel Quatro Rodas, onde a via nem era pavimentada”, disse Hilda Gomes, secretária de Obras de Olinda.

“Se não tivéssemos feito as obras de contenção em Olinda, não haveriam mais as construções na praia do Carmo, a área urbanizada da orla de Bairro Novo e Casa Caiada estaria bem prejudicada, e as casas na orla de Rio Doce, que hoje está urbanizada, teriam sido atingidas pelo avanço do mar”, enfatiza Luis Augusto de Góis, engenheiro da construtora responsável pela obra.

MANUTENÇÃO – “Fazemos um monitoramento do avanço do mar. Sempre observamos a inclinação das pedras do enrocamento e dos espigões, evitando assim qualquer dano à contenção. Inclusive temos um trator posicionado, para garantir o ângulo correto das rochas no combate às ondas”, disse o secretário executivo de Manutenção Urbana de Olinda, Arnaldo Basto.

Os trabalhos de manutenção levam em conta a estrutura mais visível dos locais, como barreiras na areia e espigões, e também a conferência do alinhamento da barreira e a reposição de materiais levados pela maré. Na manutenção, é feita a recomposição dos blocos rochosos, a preservação das escadas de acesso à praia, além de serviço topográfico.

No local, ainda são feitos constantemente o monitoramento das ondas e das marés, com uma equipe destacada exclusivamente para a manutenção da Nova Orla. “Nesses últimos anos, não tivemos nenhum dano à orla, mesmo com essas grandes marés. Outro detalhe é que quando o mar e o vento levam a areia para a pista, temos o cuidado de recolocar cada grão. São dez homens trabalhando constantemente, e uma pá carregadeira trabalhando no intervalo das marés. Agora com a nova orla de 4.5 km, estamos reforçando esse número”, afirmou Arnaldo Basto.

NOVA ORLA – A Nova Orla de Olinda é um presente para a população da cidade. O olindense ganhou um espaço de lazer para ser aproveitado por todas as idades. Além de pavimentação de toda a Avenida Beira-Mar, foi feita pista de cooper, ciclovia, espaços de convivência e práticas esportivas, além da instalação de equipamentos de apoio e mobiliário urbano, banheiros, iluminação e paisagismo em toda a sua extensão.

“Além disso, as ruas paralelas também foram pavimentadas e sinalizadas. É bom frisar que fizemos questão de que a obra não servisse apenas para a mobilidade, mas também para a contemplação da paisagem. Com isso, demos uma melhor qualidade de vida para quem usa a orla, e também para os comerciantes que sobrevivem do comércio no local, já que o trânsito melhorou bastante. Está aí uma grande obra, sendo entregue para a população da cidade de Olinda”, declarou a secretária Hilda Gomes.

A revitalização e urbanização da orla de Olinda é um atrativo especial que, aliado ao Patrimônio Cultural da cidade, fortalecerá a atividade turística, com grandes benefícios para a economia local, além de propiciar aos olindenses um lazer mais democrático.

Tags desta notícia: , , , , , ,