Obras de Urbanização Integrada

Caixa d'Água

Caixa d’Água, em Olinda, superou desafios e hoje é um lugar seguro para seus moradores

Mesmo sendo considerado como zona de risco, o bairro de Caixa d’Água, em Olinda, é um exemplo de como a atuação do poder municipal pode melhorar a qualidade de vida das pessoas que moram em áreas de morro. A comunidade é um dos locais da cidade que está sendo beneficiado pelas obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), do Governo Federal. Para Caixa d’Água foi destinada uma verba de cerca de R$ 57 milhões que estão sendo investidos em serviços de esgotamento sanitário, contenção de encostas, pavimentação e drenagem.

Dona Maria de Lourdes, moradora da Rua São João, onde já foram concluídas as obras de pavimentação e drenagem, comenta que a situação da comunidade melhorou bastante depois que os serviços começaram a ser realizados. “Isso aqui antes era cheio de buraco, agora melhorou, a água não entra mais na minha casa”, comemorou.

Além das obras estruturadoras, Caixa d’Água vai ganhar também um conjunto habitacional, no mesmo molde dos que já existem nas comunidades do V8 e V9, no Varadouro. Com a obra, serão beneficiados os moradores que habitam as casas mais vulneráveis. Enquanto a construção está em andamento, as famílias receberão o auxílio aluguel.

Atualmente, o bairro conta com cerca de 500 domicílios, todos atendidos por agentes sociais do programa Prometrópole. “Além das obras de infra-estrutura, uma equipe de assistentes sociais vai de porta em porta para verificar a condição sócio-econômica de cada família. Estes profissionais tiram as dúvidas dos moradores a respeito dos serviços que serão realizados naquela região”, comentou a assistente social, Sybele Alheiros.

O serviço de acompanhamento desenvolvido pela equipe do Prometrópole conta com reuniões setoriais com a participação da equipe social, da equipe técnica – engenheiros e técnicos responsáveis pelas obras -, e representantes do Comitê de Desenvolvimento Local (CDL) composto pela população. Nos encontros, os moradores que precisarão ser removidos de suas residências devido às obras recebem atenção especial, e podem tirar dúvidas com os engenheiros e técnicos presentes. Além de explicarem como serão executados os serviços, a equipe realiza um cadastro dos habitantes, onde consta o número de pessoas que residem em cada casa, grau de alfabetização, e nível de vulnerabilidade social.

ORIGENS

A comunidade de Caixa d’Água teve origem a partir do reservatório que tratava e bombeada as águas do Rio Beberibe para o resto do município. Por ficar situado, principalmente em área de morro, o bairro é um dos 3 mil pontos de monitoramento constate, fiscalizados pela Defesa Civil de Olinda.