Saúde

Publicado em 10/07/17 às 15:57 | Atualizado em 10/07/17 às 15:57

Encontro para discutir inclusão aos portadores de epilepsia na Vila Olímpica

Práticas inclusivas serão destaques em toda primeira segunda-feira de cada mês

Por Pedro Morais

Familiares e gestores se reuniram para início das atividades. Foto: Pedro Morais/Secretaria de Saúde de Olinda.

Grupos de mães com filhos portadores de epilepsia se reuniram na manhã desta segunda-feira (10.07) na Vila Olímpica de Rio Doce, com gestores da Secretaria de Saúde de Olinda e representantes do Movimento de Apoio às Pessoas com Epilepsia (MAPE-PE). O objetivo do encontro foi iniciar as práticas integrativas, que visam promover saúde e inclusão com olhar integral.
A reunião contou com as presenças do secretário de Saúde de Olinda, Eud Johnson; da executiva, Dra Zelma Pessoa e da coordenadora do MAPE-PE, Adriana Bachmann e equipe.
A parceria propõe todas as manhãs de segundas-feiras, desenvolver as práticas integrativas (reiki, ioga, musicoterapia, atendimento psicológico, aromaterapia, mandalas das emoções) como forma de demonstrar técnicas de autocontrole para o paciente e a família, bem como orientações nutricionais e outros tratamentos similares.

Mandalas das emoções é ferramenta da medicina chinesa. Foto: Daniel Henrique/Secom-PMO.

O secretário Eud Johnson destacou a importância da atividade. “Estamos trabalhando para atender esse grupo de mães e seus filhos, além de outros mais que chegarem, pois eles precisam de apoio e orientações. Estamos disponíveis para ajudar no que for preciso”, pontuou.
Adriana Bachmann, do MAPE-PE, explicou o efeito das práticas. “Esses encontros vão ajudar obter o autocontrole quando numa crise, bem como superar obstáculos”, enfatizou.
Suellen Andrade, mãe de Kauan Andrade, 14 anos, falou sobre a necessidade das reuniões. “Diante da situação, às vezes nos sentimos depressivas e desamparadas, mas essas práticas lúdicas e conversas nos ajudam a melhorar e enfrentar o problema” desabafou.