Destaque

Publicado em 24/10/17 às 17:39 | Atualizado em 24/10/17 às 17:39

Saúde do trabalhador é tema de fórum em Olinda

Com participação de representante do Ministério de Saúde, encontro discutiu formas de prevenir acidentes no ambiente profissional e o combate ao trabalho escravo

Por pedropaulo

Com destaque estadual e até nacional por conta de seus programas relacionados à saúde do trabalhador, Olinda promoveu nesta terça-feira (24.10) um fórum para debater a segurança no exercício da profissão. O encontro recebeu a presença da representante do Ministério da Saúde, a coordenadora nacional de Política de Saúde do Trabalhador, Karla Baeta, que apresentou explanações acerca de avanços e desafios em relação à saúde do trabalhador. O evento, que foi realizado na Faculdade de Medicina de Olinda, em Bairro Novo, também trouxe à tona a abordagem sobre as formas de combater o trabalho escravo.

Promovido pela Secretaria de Saúde de Olinda, a ação contou com presença de promotores, representação sindical, profissionais de saúde do município, colegiados dos secretários municipais de saúde de Pernambuco e representantes da Secretaria Estadual de Saúde.

“As ações desenvolvidas em Olinda têm tido repercussão em níveis estadual e nacional quando o assunto é saúde do trabalhador. É muito gratificante recebermos a coordenadora nacional para discutirmos sobre os avanços e desafios para o trabalhador”, destacou o secretário de Saúde de Olinda, Eud Johnson Cordeiro.

Dois programas relacionados ao tema se destacam em Olinda. O Programa de Riscos Ambientais (PPRA) e Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional (PCMSO). Ambos têm a função de verificar os potenciais riscos que o trabalhador está exposto em seu lugar de trabalho.

“Qualquer tipo de estabelecimento tem riscos ocupacionais. A Vigilância Sanitária de Olinda vem atuando com atenção a isso. Estamos com um trabalho em postos de combustíveis, fora o que temos feito para a saúde dos nossos servidores da saúde do município. A gestão tem tido grande preocupação com o tema”, acrescentou a diretora de Vigilância em Saúde de Olinda, Mariurtha Dantas.

Alguns dos grandes motivadores para a realização do evento foram as recentes reportagens na mídia nacional sobre funcionários com condições sub-humanas de trabalho, com falta de condições básicas.

“Nosso próximo passo aqui em Olinda é fortalecer nossa atenção básica em relação à notificação, porque nós da saúde e da vigilância só podemos atuar quando temos dados, indicadores do adoecimento da população. Devemos fortalecer a porta de entrada, o olhar dos médicos e enfermeiros a identificar quando o problema é causado por conta do trabalho”, concluiu Mariurtha.