Notícias

Centro de apoio às mulheres vítimas de violência em Olinda registra aumento de 30% dos casos durante a pandemia

O espaço funciona 24h e possui uma equipe multidisciplinar de mulheres para atender as demandas

Publicado por: Redação da Secom, em: 12/05/20 às 10:33

O isolamento social causado pela tentativa de conter o contágio do Novo Coronavírus (Covid-19) tem exposto muitas mulheres ao contato intenso com seus agressores. Por isso, o Centro Especializado de Atendimento à Mulher Márcia Dangremon (Ceam), segue com o seu funcionamento normal. O local registrou um aumento de 30% nos casos de março para abril. O espaço possui uma equipe multidisciplinar de mulheres preparadas para atender as demandas.

A elevação do número de casos de violência contra a mulher, durante a quarentena, registrada pelo Ceam retrata bem a realidade das mulheres que estão confinadas em casa com seus companheiros, que já tinham histórico de comportamento abusivo, mas que agora, ficaram ainda mais violentos.

Para todas as mulheres que se sentirem violadas, seja por violência gênero, sexual, intrafamiliar, doméstica, física, psicológica, econômica ou financeira ou institucional, o Centro está pronto para atender. A estrutura conta com dormitórios e refeitório, além de sala voltada para crianças, para as que escolheram pôr um fim em toda violência. O Ceam além de dar apoio psicológico às vítimas, também ajuda na questão jurídica com o apoio de advogadas.

A missão do Centro é lembrar que, apesar do isolamento social impostos pelo Novo Coronavírus, nenhuma mulher está sozinha. O Centro Especializado funciona 24h, todos os dias da semana.

A Secretaria de Desenvolvimento Social, Cidadania e Direitos Humanos de Olinda é responsável pelo órgão que fica na Rua Maria Ramos, 131, Bairro Novo. Para informações, os telefones são: 0800.281.2008 e 3429.2707.

Além desse canal, as mulheres também podem denunciar através do ligue 180, uma central telefônica que atua como um disque-denúncia. É um programa nacional que recebe denúncias de assédio e violência contra a mulher e as encaminha para os órgãos competentes. ou para Polícia Militar, Disque 190, quando o crime está acontecendo. As ligações podem ser feitas de qualquer telefone.

%d blogueiros gostam disto: