Notícias

Estudantes de Olinda recebem avaliação e acompanhamento nutricional

Mais de sete mil crianças e adolescentes da rede municipal de ensino serão avaliadas e acompanhadas, por meio do Programa de Saúde da Família

Publicado por: adminolinda, em: 16/09/09 às 13:12
Escola Duarte Coelho

Foto: Passarinho/Pref.Olinda

Mais de sete mil crianças e adolescentes da rede municipal de ensino de Olinda começam a receber avaliação nutricional a partir desta quinta-feira (17). Cada uma das 20 escolas que participam do Programa Saúde na Escola vai receber a visita de nutricionistas das secretarias de Educação e Saúde do município e um kit do MEC composto por balança, antropômetro e material informativo. A ação prevê ainda a sensibilização de pais e professores sobre educação alimentar.

Na quinta-feira, o trabalho inicia na escola CAIC – Norma Coelho, em Peixinhos, a partir das 9h. Serão avaliadas crianças e adolescentes entre seis e 18 anos de idade. Após a avaliação, casos identificados de baixo peso ou obesidade serão acompanhados por profissionais do Núcleo de Apoio à Saúde da Família (NASF) e encaminhados aos serviços de referência da rede para atendimento especializado com endocrinologista.

De acordo com a nutricionista da rede, Vilma Cerqueira, o município acompanha o perfil nutricional das crianças atendidas no Programa de Saúde da Família (PSF), pelo Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional do Ministério da Saúde. Segundo Vilma, os dados apontam que nos anos de 2008 e 2009 há uma prevalência de sobrepeso e obesidade, superior ao de baixo peso e magreza para os índices analisados: peso/idade e peso/altura. “Isso é preocupante, pois comprova que a obesidade tem acometido não só a população adulta, mas cada vez mais crianças e adolescentes”, explica.

Segundo a coordenadora do Ciclo da Vida da Secretaria de Saúde, Josilene Felix, a avaliação nutricional é uma ação prevista dentro do Programa Saúde na Escola que vai dar um diagnóstico mais amplo do acompanhamento nutricional das crianças do município, alcançar o público adolescente e desenvolver ações para promoção de uma reorientação alimentar. “O problema da obesidade ou desnutrição nem sempre estão ligados à falta de recursos. Com R$ 3,00 uma pessoa pode comprar dois abacaxis e cerca de cinco maracujás, mas compra um refrigerante, que é calórico e não tem valor nutricional”, explica.

%d blogueiros gostam disto: