Notícias

Grupo Grial de Dança estréia “Travessia” no Mercado Eufrásio Barbosa

Espetáculo é a segunda parte da trilogia “Uma história, duas ou três”, que propõe contação de histórias a partir do vocabulário da dança contemporânea

Publicado por: Secom, em: 16/10/10 às 12:00
Montagem tem o incentivo da Funarte através do Prêmio Klauss Vianna e integra o 15º Festival Internacional de Dança do Recife

Montagem tem o incentivo da Funarte através do Prêmio Klauss Vianna e integra o 15º Festival Internacional de Dança do Recife. Foto: Marcelo Lyra

O Grupo Grial de Dança estréia, com o apoio da Secretaria de Patrimônio e Cultura de Olinda, a realização do espetáculo “Travessia”, segunda parte da trilogia “Uma História, duas ou três”, que propõe uma incursão nas narrativas corporais das contações de histórias. O espetáculo, do Grupo Grial de Dança, é um mergulho festivo na caminhada milenar da contação de histórias com o desejo de reforçar os elos com as origens mais remotas da cultura brasileira. Esta criação de dança contemporânea presta homenagem à romanceira potiguar Dona Militana (1925 – 2010) e aos romances populares, aos quais se dedicou a difundir. A concepção e a coreografia do espetáculo são de Maria Paula Costa Rêgo.

O espetáculo que estreou na última quinta (14), fica em cartaz no Mercado Eufrásio Barbosa, em Olinda, até o dia 25, com apresentações de quinta até segunda-feira, sempre às 20h. A entrada é gratuita. A capacidade de público para cada apresentação é de 90 pessoas. Os bilhetes serão distribuídos antecipadamente na bilheteria do Centro Apolo-Hermilo e uma hora antes do espetáculo no Mercado Eufrásio Barbosa.

“Travessia” foi montado com o incentivo da Funarte através do Prêmio de Dança Klauss Vianna 2009 e integra a programação de atividades antecipadas do 15º Festival Internacional de Dança do Recife, promovido pela Prefeitura do Recife.

No espetáculo, o Grupo Grial de Dança parte da “contação” inicial da história da humanidade representada pelas pinturas rupestres e insculturas das nossas itaquatiaras (palavra de origem tupi que significa “pedra pintada”) até chegar às versões mais recentes das histórias transmitidas pela oralidade, cuja autoria inicial se perdeu no tempo. O artista Dantas Suassuna, responsável pela direção de arte do espetáculo, se inspirou nas pinturas e gravuras pré-históricas, em especial da Pedra do Ingá, no Agreste paraibano, para criar o ambiente estético de uma arena composta por grandes painéis.

“Travessia” celebra os grandes contadores de histórias do nosso tempo, que aos poucos vão se “encantando”, na maioria das vezes sem deixar herdeiros que dêem continuidade ao seu legado artístico. O espetáculo se dedica especialmente ao romanceiro popular difundido por Dona Militana, cantadeira potiguar que inspirou a idéia original do espetáculo e faleceu em junho deste ano aos 85 anos de idade.

Sobre o Grial

O Grupo Grial de Dança foi fundado, em 1997, pela bailarina e coreógrafa Maria Paula Costa Rêgo a convite do escritor Ariano Suassuna, que desejava retomar a pesquisa sobre a linguagem da dança Armorial.

Em 13 anos de existência, o Grupo Grial construiu uma trajetória com resultado artístico ímpar no país, dedicando-se à elaboração de uma linguagem onde o cerne da sua pesquisa e criação é a comunhão entre o conhecimento dos brincantes da tradição popular e o conhecimento erudito da criação contemporânea.

Essa pesquisa defende, ininterruptamente, o dançar e o corpo do brincante popular como elementos alinhados a qualquer escritura, procedimento ou estratégia da criação contemporânea, capazes de ocupar um lugar na cena da dança contemporânea brasileira. Por isso, além de uma opção estética, trata-se de uma escolha política de afirmar o valor da tradição na contemporaneidade.

%d blogueiros gostam disto: