Notícias

Igreja do Carmo será palco para Recital em Homenagem ao pianista Júlio Braga

O evento que acontece às 19h30, versará sobre a vida e a obra do homenageado, e terá entrada franca

Publicado por: Secom, em: 06/06/13 às 11:52
A cada duas músicas, a professora de história da música, Keila Souza, versará sobre a vida e a obra do homenageado. Foto: Foto: Jan Ribeiro/Pref.Olinda

A cada duas músicas, a professora de história da música, Keila Souza, versará sobre a vida e a obra do homenageado. Foto: Foto: Jan Ribeiro/Pref.Olinda

O Centro de Educação Musical de Olinda (Cemo) realiza nesta quinta-feira (06/06), na Igreja do Carmo, “Recital em Homenagem a Júlio Braga”, compositor e pianista olindense, reconhecido mundialmente. O evento acontece às 19h30, com o pianista Fernando Muller. Na ocasião, a cada duas músicas, a professora de história da música, Keila Souza, versará sobre a vida e a obra do homenageado. A igreja do Carmo fica na Praça do Carmo, s/n – Carmo. A entrada é franca.

Júlio Braga, pianista e compositor erudito, nasceu na cidade de Olinda em 24 de abril de 1918. Aos oitos anos de idade, compôs sua primeira peça e aos dez anos fez seu primeiro concerto no Teatro Santa Isabel. Em 1948, participou do Concurso Phillips da Holanda, realizado no Rio de Janeiro, conseguindo a primeira colocação, por unanimidade, entre os pianistas brasileiros. Recebeu como prêmio uma viagem à Europa e uma bolsa de permanência para aperfeiçoar os estudos em Paris, do Governo de Pernambuco.

Realizou recitais na França, Inglaterra, Holanda, Noruega, na América do Sul, América Central, América do Norte e em vários Estados do Brasil. Foi convidado para realizar concerto pela Embaixada do Brasil em Washington referente à passagem da Independência do Brasil. Realizou Programa Especial de Concertos das Nações Unidas, transmitido, na época, para toda América Latina. Foi solista da Rádio Difusora Francesa e da BBC de Londres. Também foi organista voluntário da Catedral Notre Dame, em Paris. Esteve ausente do Brasil durante dezesseis anos, elevando o nome de nossa Pátria nos maiores palcos do mundo.

Em 1964, voltou definitivamente para o Brasil após ter sido professor catedrático da Universidade de Música de Caracas e da Universidade de Música de Maracaibo, na Venezuela. O músico morreu no dia 10 de outubro de 1993. Deixou uma vasta e preciosa obra de Composições Sacras, Concertos Barrocos, Improvisações, Prelúdios, Noturnos, Valsas, Minuetos, Canções Infantis, Choros, Paráfrases, além de peças para Piano, Canto, Flauta, Clarinete, Fagote, Oboé, Viola, Violão, Violino e Orquestra. Em suas composições, costumava fazer alusão ao badalar dos sinos de Olinda. Entre as obras, Allegro Apassionato, Dança Afro-Brasileira, Acalanto, Choro n. 1, Panis Angelicus e Tocattina.

Programação

2º Improvisação op 3 nº 3 – “Reflexos de uma visão”
Canção de Amor op 1 nº5
Choro nº1- “Nostalgia”
Choro nº2- “O carrilhão da saudade”
Acalanto op 1 nº1
Improvisação op 2 nº2
11º Improvisação op 6 nº4 – “Ilusão”
Vozes d’alma op 1 nº3
Toccatina op 3 nº2

Serviço

Igreja do Carmo
Praça do Carmo, s/n – Carmo – Olinda
19h30

%d blogueiros gostam disto: