Notícias

Olinda com jornada ampliada em 100% das escolas municipais

A previsão é que já no primeiro semestre desse ano as 43 unidades de ensino ofereçam a jornada ampliada, beneficiando mais de 16 mil crianças e adolescentes

Publicado por: Secom, em: 26/03/10 às 14:19
Oficinas e atividades da Escola Pró-menor - Foto: Acervo da Escola Pró-menor

Oficinas e atividades da Escola Pró-Menor - Fotos: Acervo da Escola Pró-Menor

O município avançou na proposta do Programa Federal Mais Educação e todas as escolas da rede passam a disponibilizar educação integral a partir desse ano. Ao todo 43 unidades de ensino vão oferecer a jornada ampliada. A estimativa é que mais de 16 mil crianças e adolescentes sejam atendidas já em 2010, participando das atividades nas diversas oficinas disponibilizadas nas áreas de esportes, lazer, cultura, artes, meio ambiente, cultura digital, entre outras.

Adriana da Silva, mãe do aluno Davi Rodrigues, da Escola Pró-Menor em Rio Doce, comemora a mudança na vida do filho após adesão ao Programa. “Davi era muito nervoso, inquieto e desatento na aula. Ele agora ouve mais as pessoas, participa das aulas e está melhor até em casa”. Adriana explica que Davi está nas oficinas de judô, teatro, banda, coral e horta. “Ele mantém a mente ocupada e está aprendendo coisas novas que podem ajudar no futuro”, acrescentou.

A jornada ampliada é desenvolvida no contra turno das aulas, em espaços cedidos pela comunidade no entorno da escola ou na própria escola. São mais três horas destinadas a realização de oficinas diversas, entre elas dança, canto, grafitagem, futebol, jornal escolar, rádio, teatro, informática, fotografia, horta e práticas circenses. Para aderir ao programa, o aluno precisa ter freqüência regular nas atividades escolares e autorização dos pais, que deve ser dada em formulário adquirido na escola.

Na Escola Pró-Menor são disponibilizadas nove oficinas, duas ou três por dia, nos dois turnos. De acordo com a professora comunitária Carla Duarte, o sucesso do programa depende da parceria com a comunidade e com os pais. “A participação de todos cria um elo forte entre a comunidade e a escola. A gente vê o resultado”, explicou. Carla ressalta ainda que é preciso desenvolver um trabalho com qualidade e festeja a parceria feita com uma igreja local que tem um cadastro de profissionais e estudantes capacitados e disponíveis para desenvolver as oficinas.

Na Escola Izaulina de Castro e Silva, em Ouro Preto, a oficina de música formou uma banda fanfarra e ajudou alunos, que segundo a professora comunitária Miriam Salustiano, eram tidos como “trabalhosos”, para comunidade, família e escola. “A mudança é visível com relação à freqüência e principalmente no rendimento escolar” enfatizou.

Igor Cezar, 12 anos, aluno da 3ª série, apesar de gostar muito das brincadeiras na rua admite que seu rendimento escolar e seu relacionamento familiar melhoraram depois que usa o contra-turno da escola regular nas oficinas. “Antes eu fazia muita coisa errada, minha mãe vivia brigando comigo, agora prefiro vir pra cá aprender a tocar”, explicou.

Já Matheus Nunes, ao contrário da maioria, é o mais adiantado da turma, com 12 anos cursando a 6ª série, mesmo assim observou que melhorou seu rendimento escolar. “tenho mais vontade ainda de estudar. Aqui a gente aprende mais coisas, a mente tem mais cultura, melhor que assistir TV”, ressaltou.

O Programa Mais Educação (Portaria Interministerial nº 17/2007) é uma iniciativa do Governo Federal que tem como prioridade contribuir para a formação integral de crianças, adolescentes e jovens, articulando diferentes ações, projetos e programas nos Estados, Distrito Federal e Municípios, em consonância com o projeto pedagógico da escola, ampliando tempo, espaços e oportunidades. A Educação Integral constitui ação estratégica para garantir atenção e desenvolvimento integral às crianças, adolescentes e jovens.

Saiba mais

%d blogueiros gostam disto: