Notícias

Olinda promoveu o 1º Encontro da Rede Brasileira de Cidades Inteligentes e Humanas

O evento aconteceu nos dias 24 e 25 de julho durante a Campus Party Recife 2015, realizada no Centro de Convenções de Pernambuco

Publicado por: adminolinda, em: 04/08/15 às 17:46
Olinda é uma das 31 cidades do mundo que participam do projeto de desenvolvimento de Cidades Inteligentes. Foto: Diego Galba/Pref.Olinda

Olinda é uma das 31 cidades do mundo que participam do projeto de desenvolvimento de Cidades Inteligentes. Foto: Luiz Fabiano/Pref.Olinda

Nos dias 24 e 25 de julho, Olinda participou de um importante debate, que abordou como tema as Smart Cities (Cidades Inteligentes). A discussão fez parte do 1º Encontro da Rede Brasileira de Cidades Inteligentes e Humanas, que aconteceu na quarta edição da Campus Party Recife 2015, realizada no Centro de Convenções de Pernambuco.

“Smart Cities – Um Futuro mais Participativo para as nossas Cidades e Municípios” foi o tema do debate, que reuniu gestores públicos de todo país. O objetivo foi o de debater sobre a aplicabilidade do modelo de Smart Cities nas cidades brasileiras.

A abertura contou com a participação de Cláudio Nascimento diretor de Tecnologia da Prefeitura de Olinda, do prefeito de Águeda, em Portugal, Gil Nadais, do reitor da Universidade de Pernambuco (UPE), Pedro Falcão, e o presidente da Rede Brasileira de Cidades Inteligentes e Humanos/ Fórum Nacional de Ciência & Tecnologia, André Gomyde.

Olinda é uma das 31 cidades do mundo que participam do projeto de desenvolvimento de Cidades Inteligentes. Com o apoio do Banco Mundial, é uma iniciativa do Fórum Nacional de Ciência e Tecnologia, da Frente Nacional de Prefeitos e da União Europeia. “A ideia é criar uma rede de cidades que possam desenvolver, através da tecnologia, projetos sustentáveis que proporcionem o desenvolvimento e o bem-estar da população, melhorando, consequentemente, os serviços oferecidos por estes municípios”, explicou Cláudio Nascimento, que também é vice-presidente do Fórum Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação da FNP (Frente Nacional de Prefeitos).

Open Source – Também dentro da programação do encontro, houve, no sábado (25) palestra do auditor da Secretaria da Fazenda de Olinda, Darniton Amorim, com o tema: “Tecnologias Open-Source na Melhoria da Arrecadação de Tributos”.

“Na administração tributária temos sistemas informatizados, onde são colocados dados, como por exemplo quem arrecadou, informação sobre notas fiscais. Isso se torna um conjunto de dados enorme. Por isso, em geral os municípios não têm condições de pegar esses dados e transformá-los em informação e conhecimento, e gerar valor tributário. Trabalhar ferramentas analíticas que permitam tomarmos decisões a partir do que sabemos e não o que achamos é importante. Foi aí que encontramos a ferramenta Pentaho Open-Source (código aberto) que permite isso, que é encontrar cirurgicamente os problemas e as dificuldades, e a partir daí onde devemos atacar”, disse o auditor da Secretaria da Fazenda de Olinda, Darniton Amorim.

O Pentaho Open Source Business Intelligence é um software de código aberto para inteligência empresarial, desenvolvido em Java, e oferece ferramentas de análise de informações, monitoramento de indicadores e data mining.

Visita à Prefeitura – Os participantes do Encontro de Cidades Inteligentes também visitaram a cidade patrimônio no dia 23, sendo recebidos pelo prefeito Renildo Calheiros. “É um prazer estar em Olinda, onde reconheço a influência portuguesa aqui, e onde vim tratar sobre cidades inteligentes e humanas, que são aquelas que se preocupam com os cidadãos em primeiro lugar, utilizando a tecnologia em favor dessa população. Para isso é preciso entender as pessoas, o que elas sentem, para que possamos envolve-las no processo de transformação dessa cidade. A tecnologia é importante, mas acima de tudo, mais importante são as pessoas, por isso elas devem participar desse processo de transformação”, disse o professor português Dr. Álvaro Oliveira, da empresa de inovação tecnológica Alfamicro, um dos responsáveis pela parceria entre o Brasil e a Europa no desenvolvimento de Cidades Inteligentes.

Estiveram ainda presentes na visita o secretário de Ciência e Tecnologia de Anápolis, Goiás, Fabrizio Ribeiro; a secretária de Tecnologia de Porto Alegre, Maria Fernanda; e a secretária de Tecnologia de Rio das Ostras, no Estado do Rio de Janeiro, Eronei Leite.

Campus Party – É um evento tecnológico voltado para as áreas de inovação, ciência, cultura e entretenimento digital. Os participantes, também chamados “campuseiros”, mudam-se com seus computadores , malas e barracas para o local em que acontece a iniciativa. Lá eles se conectam a uma rede e participam de diversas atividades como palestras, oficinas, conferências, competições e atividades de lazer.

Cidades Inteligentes – As “Smart Cities” utilizam a tecnologia e recursos digitais para melhorar o desempenho, reduzir custos e consumo de recursos e se envolverem de forma mais eficaz e ativa com seus cidadãos a fim de melhorar qualidade de vida da população. Uma cidade inteligente deve ser capaz de responder mais rapidamente aos problemas e desafios globais e ter uma relação com os habitantes, onde todos possam ser agentes transformadores, causando uma verdadeira revolução social através da informação.

Veja mais

%d blogueiros gostam disto: