Notícias

Profissionais da Saúde de Olinda passam por atualização sobre a raiva humana

Capacitação orientou acerca da importância do preenchimento da ficha de notificação

Publicado por: Redação da Secom, em: 15/02/19 às 11:42

Fotos e texto: Pedro Morais

Este slideshow necessita de JavaScript.

A Secretaria de Saúde de Olinda promoveu uma capacitação voltada para a importância do preenchimento da ficha de investigação no atendimento antirrábico humano, vacina e comportamento do animal suspeito com raiva, conforme protocolo preconizado pelo Ministério da Saúde. A atividade, que foi destinada aos profissionais de saúde da rede do município da Atenção Básica, Especializada e Urgência, foi realizada nessa quinta-feira (14.02), na Policlínica Barros Barreto, Carmo.

A coordenadora do Programa Nacional de Imunização de Olinda (PNI), Roberta Alcântara, ministrou palestra sobre a importância e métodos de administração da vacina e soro antirrábico na rede. Já a coordenadora da Vigilância Epidemiológica de Olinda, Adriana Vitorino, destacou o cenário da raiva no âmbito do município e Estado e trouxe orientações acerca do preenchimento da ficha de notificação.

“Essas informações descritas na ficha de notificação devem ser atentamente preenchidas pelo profissional, pois contribuem fundamentalmente para o desenvolvimento de diretrizes, ações e condutas posteriores, principalmente porque permitem vislumbrar a atual situação da doença no cenário do município”, sublinhou Adriana Vitorino, acrescentando que qualquer agressão animal deve ser notificada, mesmo que não haja conduta de imunização.

A veterinária do Centro de Vigilância Ambiental de Olinda (CEVAO), Isla Cavalcante, pontuou sobre as observações pertinentes ao comportamento do animal clinicamente com suspeita de raiva. “A vítima deve observar o animal agressor, pois dependendo do seu comportamento no momento da agressão a conduta pode necessitar da administração do soro e iniciar vacinação”, alertou.

Caso a pessoa seja agredida pelo animal, a coordenadora do PNI/Olinda, Roberta Alcântara, explicou os trâmites. “O paciente deve ser encaminhado ao Serviço de Pronto-Atendimento de Peixinhos (24h) para ser avaliado e orientado pela equipe médica e de enfermagem, assim iniciar a primeira dose da vacina e, se for o caso, o uso do soro antirrábico. As doses subsequentes são realizadas na Policlínica São Benedito”, informou a coordenadora.

Serviço:

Serviço de Pronto-Atendimento de Peixinhos:

Avenida Antônio da Costa Azevedo, s/n, Peixinhos.

%d blogueiros gostam disto: