Notícias

Projeto Orla de Olinda realiza 1ª oficina de capacitação

O Projeto Orla vai garantir o ordenamento de todas as atividades desenvolvidas na Orla de Olinda por vários segmentos, como: banhistas, moradores da beira-mar, desportistas, pescadores, empresários e comerciantes

Publicado por: adminolinda, em: 18/11/14 às 11:08
estudos-portal---projeto-orla----17-11-2014

Participaram da formação diversos segmentos que compõem a Orla de Olinda. Foto: Luiz Fabiano/Pref.Olinda

A Prefeitura de Olinda, em parceria com a Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade do estado (SEMAS) e a Superintendência do Patrimônio da União de Pernambuco (SPU/PE), realizou na última semana, a primeira oficina de capacitação de gestores locais para o Projeto Orla de Olinda. Os participantes foram convidados ao evento em reuniões que ocorreram sobre o tema, desde o mês de agosto. Nestes encontros, participaram banhistas, moradores da beira-mar, desportistas, pescadores, empresários e comerciantes.

O objetivo principal destas oficinas é elaborar o Plano de Gestão Integrada da Zona Costeira do Município, que vai garantir o ordenamento de todas as atividades desenvolvidas na Orla de Olinda.

“Esse projeto eu acredito que irá beneficiar os pescadores da nossa área, por conta do ordenamento que vai ser feito, das embarcações e dos pontos de atracamento. Espero muita coisa positiva”, declarou Paulo Barbosa, representante do segmento dos pescadores durante a formação.

Todos os participantes das oficinas terão a oportunidade de discutir soluções e estratégias que orientarão todo o processo de ordenamento. Para o secretário de Meio Ambiente de Olinda, Roberval Véras, “a partir dos debates e oficinas, vamos criar um comitê formado pelo poder público e representantes dos segmentos e dos órgãos envolvidos no projeto, o que vai possibilitar a democratização dos acessos públicos às praias e garantir a função socioambiental da orla de Olinda por meio de ações que vão melhorar, na prática, questões como segurança, limpeza e infraestrutura”, explica.

A elaboração de forma integrada do Plano de Gestão, é comemorada por representantes dos segmentos que usam a praia, como afirma o morador, Lucas Pinto. “Gostaria de transmitir a satisfação do segmento de moradores com essa abertura e afinidade no diálogo com os gestores públicos, tanto do nível federal, quanto estadual e municipal, sobre uma localidade importantíssima, que é a orla de Olinda. É um local que está passando por alterações, está passando por obras, então existe essa necessidade do diálogo e abertura com os usuários da praia”, disse.

No mês de dezembro vai ocorrer uma segunda etapa de debates e oficinas. Ao final de todo processo será realizada uma audiência pública para apresentar o Plano de Gestão Integrada da Zona Costeira do Município, além da recepção de críticas e sugestões da sociedade civil.

Projeto de Gestão Integrada da Orla Marítima (Projeto Orla) – É uma ação conjunta entre o Ministério do Meio Ambiente, por intermédio de sua Secretaria de Extrativismo e Desenvolvimento Rural Sustentável (SEDR), e o Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, no âmbito da sua Secretaria do Patrimônio da União (SPU/MP). Suas ações buscam o ordenamento dos espaços litorâneos sob domínio da União, aproximando as políticas ambiental e patrimonial, com ampla articulação entre as três esferas de governo e a sociedade. Os seus objetivos estão baseados nas seguintes diretrizes:

  • Fortalecimento da capacidade de atuação e articulação de diferentes atores do setor público e privado na gestão integrada da orla, aperfeiçoando o arcabouço normativo para o ordenamento de uso e ocupação desse espaço;
  • Desenvolvimento de mecanismos de participação e controle social para sua gestão integrada;
  • Valorização de ações inovadoras de gestão voltadas ao uso sustentável dos recursos naturais e da ocupação dos espaços litorâneos.

Assim, o Projeto busca responder a uma série de desafios como reflexo da fragilidade dos ecossistemas da orla, do crescimento do uso e ocupação de forma desordenada e irregular, do aumento dos processos erosivos e de fontes contaminantes.

Veja mais

Maiores informações: (81) 3429-6053

%d blogueiros gostam disto: