Notícias

Secretaria de Saúde de Olinda discute HIV e Sífilis em seminário

Iniciativa aconteceu nesta sexta (22) e mobilizou vários profissionais da Saúde do município

Publicado por: Secom, em: 23/10/10 às 9:00

Principal objetivo do evento foi discutir a importância da vigilância epidemiológica da sífilis e do HIV. Foto: Laila Santana/Pref.Olinda

Principal objetivo do evento foi discutir a importância da vigilância epidemiológica da sífilis e do HIV. Foto: Laila Santana/Pref.Olinda

Cerca de 50 pessoas, entre médicos, enfermeiros e demais profissionais da saúde de Olinda, participaram do 1º Seminário sobre Transmissão Vertical do HIV e Sífilis, que foi realizado no salão de eventos do Hotel Costeiro, localizado na avenida Marcos Freire, 681, em Bairro Novo.

O principal objetivo do evento foi discutir a importância da vigilância epidemiológica da sífilis e do HIV, que vem apresentando um crescimento significativo no município. Segundo dados do SES-PE, datados em 2010, estima-se que 546 mil pessoas estejam infectadas com o vírus da AIDS no Brasil. Em Pernambuco esse índice é de 14,5 mil e, apenas no município de Olinda, já foram registrados 1.233 casos da doença.

Segundo o manual de saúde distribuído durante a iniciativa, a transmissão vertical ocorre através da passagem do vírus da mãe para o bebê na gestação, no trabalho de parto ou, até mesmo, na amamentação.

Outra informação importante que foi discutida no seminário é que a população menos escolarizada tem sido mais atingida pela epidemia, apresentando taxas crescentes, principalmente entre mulheres, com faixa etária entre 20 e 49 anos.

No início do evento os presentes tiveram a oportunidade de assistir o vídeo pedagógico Anjos da Asa Quebrada, que aborda o relato de Silvana Gomes, usuária do SUS, que descobriu ser portadora do vírus do HIV durante a amamentação de um de seus filhos. O vídeo também expôs a importância do aconselhamento no diagnóstico e a prevenção durante a gestação.

De acordo com a sanitarista e psicóloga, Gorete Godoy, o profissional tem que fazer a notificação epidemiológica, pois, somente assim, poderá ter conhecimento da realidade dos casos de HIV.

Para dar continuidade ao tema, no dia 18 de novembro, a partir das 8h, acontecerá um segundo momento da discussão sobre a sífilis e o HIV, também no Hotel Costeiro. Desta vez, a convidada para ministrar a palestra será a ginecologista e professora da UPE, Luiza Menezes, e a pediatra do SAE/DST do Cisam, Tânia Moísa.

%d blogueiros gostam disto: