Notícias

União Brasileira de Mulheres celebra 25 anos na Câmara de Olinda

Pela entidade apartidária, já passaram mulheres que se destacaram e se destacam no cenário político pernambucano e nacional

Publicado por: Secom, em: 17/12/13 às 14:49
Participaram da solenidade autoridades municipais e estadual, além de líderes dos movimentos sociais. Foto: Luiz Fabiano/Pref.Olinda

Participaram da solenidade autoridades municipais e estadual, além de líderes dos movimentos sociais. Foto: Luiz Fabiano/Pref.Olinda

A Câmara de Vereadores de Olinda foi palco, na tarde desta segunda-feira (16), de uma homenagem à União Brasileira de Mulheres (UBM). A entidade que completa 25 anos de lutas e histórias foi representada pela sua diretora estadual Irene Freire. Participaram ainda da solenidade autoridades municipais e estadual, além de líderes dos movimentos sociais.

“Nestes 25 anos de lutas, a UBM ajudou a criar e a consolidar muitas políticas públicas para as mulheres, mas é pouco, pois a desigualdade entre os gêneros ainda é grande. Hoje, uma mulher ocupa o mais alto cargo na política brasileira, mas ocupamos poucas cadeiras nos espaços públicos de poder, por exemplo. Por isso, a luta da União Brasileira de Mulheres não pode parar”, disse a diretora estadual da UBM, Irene Freire.

Foto: Luiz Fabiano/Pref.Olinda

Foto: Luiz Fabiano/Pref.Olinda

A diretoria falou para um plenário lotado de mulheres e homens, todos certos de que elas têm os mesmos direitos que eles. Entre as autoridades presentes estavam o presidente da Câmara de Olinda, o vereador Marcelo Soares (PCdoB); o secretário estadual de Ciência e Tecnologia, Marcelino Granja; o vice-prefeito do Recife, Luciano Siqueira; a vereadora do Recife, Isabella de Roldão (PDT); a presidente do PCdoB-Recife, Antonieta Trindade; e representando o prefeito Renildo Calheiros, o secretário de Desenvolvimento Social, Cidadania e Direitos Humanos de Olinda, Humberto de Jesus.

“Eu não vou me alongar na minha fala porque hoje não é dia de homem falar”, brincou Humberto de Jesus. “A vitória de Michelle Bachelet e o seu retorno à presidência do Chile é uma grande conquista para as mulheres e os movimentos sociais, na América Latina. Assim como ela, nós temos muitas mulheres guerreiras no Brasil, como a presidenta Dilma e a ex-prefeita e atual deputada federal Luciana Santos”, disse.

Luciana Santos, que, por compromissos políticos, não pôde estar presente à homenagem, enviou um vídeo com uma mensagem. Na abertura da solenidade, atores da Companhia de Teatro Baú apresentaram um trecho da peça “Autônoma e linda”, uma adaptação do texto “Segundo o sexo”, de Simone de Beauvoir.

%d blogueiros gostam disto: