Notícias

Secretariado de Olinda discute prioridades com mães de crianças com microcefalia

Educação, assistência social e saúde foram temas enfatizados

Publicado por: Redação da Secom, em: 03/05/19 às 17:54

Secretários da Prefeitura de Olinda promoveram nesta sexta-feira (03.05) um encontro com mães de crianças diagnosticadas com microcefalia. Na ocasião, foram apresentadas prioridades de políticas públicas para o segmento. As questões também foram  esboçadas por profissionais do Conselho Tutelar.

Temas como transporte adaptado, alimentação, acessibilidade estrutural nas escolas e a oferta de salas multifuncionais pautaram as discussões no campo da educação.

A importância da assistência à família e benefícios sociais que atendam as famílias com crianças nascidas com microcefalia fizeram parte do conteúdo abordado. A Secretaria de Desenvolvimento Social, Cidadania e Direitos Humanos da cidade já analisa a possibilidade de viabilizar cursos profissionalizantes em parceria com o Senac para as mães.

 No tocante a saúde, o grupo levantou prioridades na distribuição de medicação neuro-pedriática, sessões de fisioterapia e outros serviços.

Temas como transporte adaptado, alimentação, acessibilidade estrutural nas escolas e a oferta de salas multifuncionais pautaram as discussões no campo da educação. Foto: Divulgação

Pela Prefeitura, participaram das discussões os secretários de Educação, Esporte e Juventude, Paulo Roberto Souza Silva, Executiva de Politicas e Programas Educacionais, Edilene Soares. De Desenvolvimento Social, Cidadania e Direitos Humanos, Odin Neves, e as secretárias executivas de Assistência Social, Mônica Ribeiro, e de Saúde, Zelma Pessôa.

A sociedade civil foi representada, no encontro, por Jaqueline Vieira, Germana Soares e Emicleide Maciel, que lidam com a causa em Olinda, além da primeira dama do município, Cláudia Cordeiro.

NÚMEROS – Três anos após o surto de microcefalia causada pela síndrome congênita do vírus da zica em Pernambuco, o estado registrou 1.440 notificações da doença, em 2018. O aumento foi de 73,5% em relação a 2017, quando houve 830 notificações.   A microcefalia é uma malformação em que o bebê nasce com crânio de tamanho menor do que o normal e desenvolve danos neurológicos, afetando a cognição.

%d blogueiros gostam disto: